AGÊNCIA DE NOTÍCIAS
Brasília, Quinta Feira, 23 de Novembro de 2017
27 de outubro de 2015

CFC realiza o X Encontro de Coordenadores e Professores do curso de Ciências Contábeis

Postado por: Comunicação CFC


Por Déborah Arduini, Fernanda de Oliveira e Thalita Rodrigues – Ascom CRCMG
Fotos: Eduardo Batista

Teve início neste dia 26 de outubro, o X Encontro Nacional de Coordenadores e Professores do Curso de Ciências Contábeis (X ENCPCCC), com a presença de cerca de 180 participantes. Promovido pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC), organizado pela Academia Brasileira de Ciências Contábeis (Abracicon), com o apoio do Conselho Regional de Contabilidade de Minas Gerais (CRCMG), o evento está sendo realizado na cidade de Belo Horizonte. O X ENCPCCC tem por objetivo aproximar o sistema CFC/CRC’s da realidade das Instituições de Ensino Superior, discutir a qualidade do ensino e as tendências da profissão e debater os principais desafios dos cursos em Ciências Contábeis.

site1

Participantes do X Encontro, durante a solenidade de abertura

O presidente do CRCMG, contador Marco Aurélio de Almeida, fez a abertura do encontro e destacou a importância do diálogo e da interação entre o órgão de fiscalização e as instituições de ensino superior. “Esses encontros são sempre importantes e proveitosos, até porque são essas instituições que formam aqueles que, futuramente, irão se registrar nos Conselhos”, disse.

Além disso, ele falou sobre o valor do Exame de Suficiência como um norte para as instituições de ensino pois, com o Exame, é verificado se há um nivelamento na base que tem sido oferecida àqueles que almejam se registrar no Conselho, e o perfil esperado do profissional da Contabilidade. “O profissional de hoje deve ser multitarefa e ter uma visão global do sistema financeiro das empresas e do governo. Por isso, é grande a responsabilidade das instituições de ensino: formar os futuros profissionais, com esse novo perfil, conhecedores de todas as novas práticas que têm sido adotadas, e conscientes da necessidade de aprimoramento contínuo. O trabalho conjunto das instituições e dos Conselhos de Contabilidade, portanto, fará com que efetivamente caminhemos em direção à valorização da nossa profissão”, afirmou Almeida.

site2

Mesa da solenidade de abertura: (da esq. para a dir) Paulo César Consentino, Zulmir Breda, Marco Aurélio de Almeida, Juarez Domingues Carneiro e Ernani Ott

Para o presidente da Fundação Brasileira de Contabilidade (FBC), contador Juarez Domingues Carneiro, é importante o esforço que o CFC tem feito para trazer conhecimento e promover um canal com os coordenadores e professores de contabilidade. Ele ressaltou que este evento é uma forma de atrair uma fatia expressiva para discutir o ensino de contabilidade e trocar informações, para fazer com o que o curso de Ciências Contábeis seja cada vez melhor. Carneiro falou também sobre a colaboração da FBC nesse contexto. “A FBC tem contribuído a partir dos resultados dos Exames. Temos trabalhado para que tudo seja aprimorado. A cada exame, a FBC analisa cada questão, qual o grau de dificuldade dela, como os alunos a analisam. No último resultado, as aprovações foram baixas. Mas temos que analisar que o resultado não é só do aluno, mas também do professor e da instituição de ensino. O resultado é o trabalho que foi desenvolvido como os alunos durante todos os anos de curso”, finalizou.

site3

Vice-presidente de Desenvolvimento Profissional e Institucional do CFC, Zulmir Ivânio Breda

Em seguida, o vice-presidente de Desenvolvimento Profissional e Institucional do CFC, contador Zulmir Ivânio Breda, falou sobre a importância dos professores na sala de aula e os objetivos do encontro, que tem o intuito de melhorar não só o meio acadêmico como também o ambiente de trabalho. “Parabenizo o trabalho incansável dos professores em ensinar aos alunos. Há um crescimento rápido no número de novos cursos de Ciências Contábeis no Brasil. Por um lado é bom, já que são mais profissionais no mercado, por outro, nos preocupa, pois temos que garantir a qualidade desses cursos. Gostaríamos de participar do processo de autorização dos novos cursos, para podermos garantir bons profissionais no mercado”, afirmou.

Prêmio Olivio Koliver

Após a solenidade de abertura, foi realizada a entrega da premiação da segunda edição do Prêmio Olivio Koliver, instituído pelo CFC e promovido pela Revista Brasileira de Contabilidade (RBC), com a finalidade de estimular a produção de pesquisas técnicas e científicas na área contábil.

A edição de 2015 do Prêmio Olivio Koliver teve como vencedor o artigo “Remuneração de executivos e desempenho das companhias abertas brasileiras: uma visão empírica após a publicação da Instrução Normativa CVM nº 480”, publicado na edição nº 209, referente aos meses de setembro e outubro de 2014. Os autores do artigo vencedor foram: Juliano Augusto Orsi Araújo, Cláudio Parisi, Aldy Fernandes da Silva e Wilson Toshiro Nakamura, que receberam o prêmio das mãos do vice-presidente de Desenvolvimento Profissional e Institucional do CFC, Zulmir Ivânio Breda e da coordenadora do Conselho Editorial da RBC, Jacqueline Veneroso Alves da Cunha.

site4

Os articulistas, com os troféus, Wilson Toshiro Nakamur, Aldy Fernandes da Silva e Juliano Augusto Orsi Araújo. À esquerda, o vice-presidente de Desenvolvimento Profissional e Institucional do CFC, Zulmir Breda, e, à direita, a coordenadora do Conselho Editorial da RBC, Jaqueline Veneroso.

A realização do Prêmio consiste na escolha do melhor artigo publicado, a cada ano, na RBC. Conforme previsto no regulamento, dos 36 artigos publicados nas edições da Revista durante o ano, seis deles são indicados pelo Conselho Editorial da Revista para a banca examinadora do Prêmio, instituída por Portaria do Conselho Federal de Contabilidade, que tem a missão de escolher o artigo vencedor.

Palestra

A rodada de palestras do primeiro dia teve início com o tema “Inovação – O DNA das pessoas de sucesso”, o qual foi abordado pela comunicadora e especialista em Gestão de Marketing, Rosana Nogueira Marsíglia.

site5

Segundo Rosana, trabalhar como professor no Brasil é ter que se inovar sempre. Para ela, pelo fato de o curso de Ciências Contábeis ser o 4º curso mais procurado do Brasil, a responsabilidade é ainda maior. Ela falou também sobre o que é ter sucesso. “As pessoas de sucesso param de falar do impossível e trabalham com o possível. Na nossa sociedade, a pessoa que tem dinheiro é uma pessoa de sucesso. Sucesso é ter um resultado feliz em algo. Portanto, nem toda pessoa que tenha dinheiro tem sucesso”, explicou.

Rosana Marsíglia deu algumas dicas importantes para que os professores e coordenadores possam ter mais credibilidade em seu ambiente de trabalho como: saia do automático e inove para ser melhor que o concorrente; fale a linguagem do seu público; jamais fale com os braços cruzados ou com a mão no bolso; não corrija o aluno de uma forma que o exponha para toda turma; cuide do tom de voz; cuide da aparência; valorize o que se posta nas redes sociais e invista para que a relação com os alunos seja memorável e eles sintam saudades de das aulas.

Ela finalizou sua exposição enfatizando a importância de tratar bem as pessoas: “O aluno que é tratado com carinho dá um retorno positivo para o professor. Tratar o próximo bem gera uma recíproca. Respeito e carinho são pequenos gestos que marcam”, finalizou.

Painéis

Os Programas de Pós-Graduações (PPGs) precisam passar por reformulações para que sejam formados docentes mais capacitados a lecionar. Foi essa a conclusão a que chegaram os presentes no painel “A Pós-Graduação e a Formação Docente”.

Com a coordenação da vice-presidente de Gestão do CRCRS, Ana Tércia Lopes Rodrigues, o debate contou com a apresentação dos painelistas prof. dr. Ernani Ott, presidente da Associação Nacional dos Programas de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (Anpcont); prof. dra. Márcia Martins Mendes de Luca, coordenadora-adjunta da área de Administração, Ciências Contábeis e Turismo da Capes e professora associada da Universidade Federal do Ceará, com atuação no curso de graduação em Ciências Contábeis e no programa de Pós-Graduação em Administração e Controladoria; e prof. dr. Andson Braga Aguiar, coordenador do Programa de Controladoria e Contabilidade da USP e professor doutor do Departamento de Contabilidade e Atuária, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP.

Os palestrantes concordaram que o tema do debate é de grande importância, pois, de acordo com eles, os incentivos dos Programas de Pós-Graduação são, principalmente, voltados para formar pesquisadores, quando, na verdade, o objetivo principal deveria ser formar profissionais para o exercício do magistério. De acordo com a professora Márcia Martins, menos de 10% dos cursos de Pós-Graduação em Ciências Contábeis possui disciplinas obrigatórias com foco na formação para a docência, pois priorizam as áreas específicas de pesquisa científica.

Para a melhoria da qualidade de ensino, os palestrantes exemplificaram algumas ações que precisam ser tomadas, como a necessidade de preparação específica para exercer a docência, pois, como colocou o professor Andson Braga Aguiar, conhecimento específico e experiência profissional não são o bastante para assegurar um bom desempenho docente. “É necessário uma formação didático-pedagógica. Entender as relações entre ensino e aprendizagem”, concluiu. Após a apresentação dos painelistas, foi aberto um momento para que o público pudesse expor suas opiniões sobre o tema.

“Diretrizes Curriculares e Novas Proposições” foi o tema do último painel do dia. O assunto foi abordado pelos painelistas prof. rr. José Antônio de França, professor-adjunto do Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais da Universidade de Brasília (UNB); prof.ª me. Ana Tércia Lopes Rodrigues, professora da Universidade Federal do Rio Grande do Sul e vice-presidente de Gestão do Conselho Regional de Contabilidade do Rio Grande do Sul; prof.ª me. Marisa Luciana Schvabe de Morais, conselheira da Câmara de Desenvolvimento Profissional e Institucional do CFC e coordenadora do Curso de Ciências Contábeis do Centro de Ciências Sociais Aplicadas da Univali – Gestão no Campus Biguaçu; e prof. dr. José Elias Feres de Almeida, professor da Universidade Federal do Espírito Santo.

O painel, coordenado pelo presidente da Fundação Brasileira de Contabilidade, Juarez Domingues Carneiro, abordou, por meio das indagações feitas pelo coordenador sobre a elaboração da 3ª edição do livro “Proposta nacional de conteúdo para o curso de graduação em Ciências Contábeis”, que será lançado em breve, questões relativas à estrutura curricular dos cursos de Ciências Contábeis e sua integração com as demandas atuais do mercado de trabalho, bem como as demandas de formação acadêmica. Os painelistas destacaram os principais desafios encontrados desde a elaboração da primeira edição do livro, lançada em 2007.

Foram enfatizadas, também, questões sobre a capacitação e melhorias na educação. “Mudamos um pouco a estrutura desse Painel para discutir questões importantes, o assunto principal foi abordado através do livro, mas falamos também sobre qualificação, capacitação, educação continuada e sobre as possíveis causas dos resultados insatisfatórios no índice de aprovação da segunda edição 2015 do Exame de Suficiência. Sabemos que são muitos os desafios que temos peça frente, mas os avanços surgem em momentos como esses”, lembrou.

 

 

 


Totem Ticker